Insone II



Nesta noite de 2 de janeiro de 2015, deitado em minha cama, pensei que podia fechar os olhos e, de imediato, sonhar com você. Até tentei. Por horas fiquei desenhando seu rosto, sua boca carnuda, seus olhos de mulher sacana, suas mãos pequenas e brincalhonas, suas coxas roliças e quentes.
Nesta noite de 2 de janeiro de 2015, descobri (agora) que não dá pra sonhar e desenhar ao mesmo tempo.

Nesta madrugada de 3 de janeiro de 2015, percebi (tardiamente) que passei a noite acordado inutilmente. Pois só consigo dormir relaxado. 


Paulo Francisco

Companhia






Ao seu lado, quero todos os clichês amorosos. Mil beijos imediatos. E muitos abraços apertados.
Ao seu lado, não me incomoda ser um bobo apaixonado. Um lunático contador de nuvens.
Ao seu lado, torno-me poeta em queda-livre. Um desvairado trovador.
Ao seu lado, torno-me grande – um coletor de cores. 
Ao seu lado, sou forte – sou um desbravador.
Ao seu lado, não há dores.

Há somente amor.



Paulo Francisco